26 fevereiro, 2007

"Colecção SPIROU" pelo Público

Depois de já aqui ter anunciado a publicação da "colecção SPIROU", numa parceria jornal Público/edições ASA, venho agora deixar em “primeira mão” a lista definitiva dos vinte títulos que compõe esta colecção, com a indicação da respectivas datas de publicação (todas Quartas-Feiras). Apesar da ordem de publicação não respeitar a numeração original da série, são estes os “eleitos”:

#1 A máscara misteriosa, a publicar em 07-03-2007
#2 O chifre do rinoceronte, em 14-03-2007
#3 Os piratas do silêncio, em 21-03-2007
#4 O fazedor de ouro (“Le faiseur d'or”) INÉDITO, em 28-03-2007
#5 O anel de gelo (“La ceinture du grand froid”) INÉDITO, em 04-04-2007
#6 O homem que não queria morrer (“L'homme qui ne voulait pas mourir”) INÉDITO, em 11-04-2007
#7 O gorila, em 18-04-2007
#8 O gás do Kuko Jomon (“Du glucose pour Noémie”) INÉDITO, em 25-04-2007
#9 Z de Zorglub, em 02-05-2007
#10 Pânico na abadia (“L'abbaye truquée”) INÉDITO, em 09-05-2007
#11 A caixa negra (“La boïte noire”) INÉDITO, em 16-05-2007
#12 Paris submersa, em 23-05-2007
#13 Spirou e os herdeiros, em 30-05-2007
#14 Os ladrões do Marsupilami, em 06-06-2007
#15 Aventura na Austrália, em 13-06-2007
#16 Tora Torapa (“Tora-Torapa”) INÉDITO, em 20-06-2007
#17 A herança (“L'héritage”) INÉDITO, em 27-06-2007
#18 Os gigantes petrificados (“Les géants pétrifiés”) INÉDITO, em 04-07-2007
#19 O feiticeiro de Champignac, em 11-07-2007
#20 O ditador e o cogumelo, em 18-07-2007

De destacar o facto desta colecção incluir a publicação de nove títulos inéditos, oito dos quais vêm tapar os “buracos” que existiam na série em português, sendo que o outro título, a saber “A herança”, é um "hors-série", ou seja, não pertence à colecção principal.

Se juntarmos a isto a confirmação da publicação prevista para Março do 49º álbum, “Spirou e Fantasio em Tóquio”, pelas edições ASA, a série “SPIROU” fica integralmente publicada em língua portuguesa.

Por se tratar de revitalizar um dos grandes clássicos da Banda Desenhada franco-belga, por incluir os títulos nunca antes por cá publicados, a colecção SPIROU do Público é para já um dos grandes acontecimentos do ano em termos bedéfilos. Simplesmente imperdível!


rectificação:
o álbum n.º 18 da colecção “Os gigantes petrificados” corresponde ao álbum original “Les géants pétrifiés” da dupla Yehlmann e Yoann, um álbum isolado publicado em 2006 e não ao álbum “Les faiseurs de silence” conforme foi referido (mea culpa pela confusão para o qual contribuiu o meu mau francês). Assim, e ao contrário do afirmando, a série “SPIROU” não fica integralmente publicada em língua portuguesa, uma vez que o álbum “Les faiseurs de silence” de Nic e Cauvin, editado em 1984 e que corresponde ao n.º 32 da colecção principal, continuará inédito entre nós.

6 comentários:

Pedro Rebelo disse...

Muito boa noticia. Obrigado.

Anónimo disse...

Do ponto de vista de um recente chegado à BD franco belga como eu e se levarmos em consideração que isto provavelmente significa que a Asa não vai (re)publicar tão cedo o Spirou numa versão revista e em capa dura (como fez com o Asterix e o Lucky Luke) não sei se a noticia será assim tão boa até porque uma boa parte dos albuns ineditos são dispensaveis por fazerem parte da pior fase da serie (Nic e Cauvin). Eu pessoalmente preferia uma reedição completa em capa dura e com tradução revista. Mas é claro que não vou deixar de comprar alguns destes : )

verbal disse...

Sob o ponto de vista de um leitor de bd, considero a colecção bastante interessante, não só porque reedita alguns álbuns há muito esgotados e de difícil aquisição, como também praticamente faz com que a colecção principal do SPIROU fique integralmente editada em português. Sob o ponto de vista de um coleccionador, também preferia uma reedição completa mais cuidada, até porque gosto das colecções ordenadas por ordem cronológica e esse “pormenor” não foi tido em atenção nesta colecção. Pode ser que me função das vendas, a editora ASA repense a sua politica em relação a esta colecção.

Anónimo disse...

A colecção do Spirou lançada pelo jornal Público é incompleta mas o importante foi o lançamento de álbuns inéditos em língua portuguesa. Para quem conhece o Spirou está tudo muito bem, mas que não conhece e começa a conhecer o nosso herói fica muito confuso, tal é a miscela de autores e a própria personagem do spirou muda de personalidade como que muda de camisa. Eu sou um previligiado porque iniciei a minha leitura do spirou com as edicões do círculo de leitores e o autor era o Franquim para mim o melhor de todos.

Luís pais de Sousa - Santo Tirso

Anónimo disse...

A colecção do Spirou lançada pelo jornal Público é incompleta mas o importante foi o lançamento de álbuns inéditos em língua portuguesa. Para quem conhece o Spirou está tudo muito bem, mas que não conhece e começa a conhecer o nosso herói fica muito confuso, tal é a miscela de autores e a própria personagem do spirou muda de personalidade como que muda de camisa. Eu sou um previligiado porque iniciei a minha leitura do spirou com as edicões do círculo de leitores e o autor era o Franquim para mim o melhor de todos.

Luís pais de Sousa - Santo Tirso

Pedro Almeida disse...

Penso que a série agora publicada carece de sequência histórica. Poderiam ter publicado um livro com a percurso das personagens e dos autores e tentar que a sequência dos números editados fosse lógica e completa, dado que, penso eu, já foram editados mais de 50 aventuras e a recente série tem apenas 20.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...