17 maio, 2009

Leitura: W.E.S.T.

Começo aqui esta uma rubrica de séries incompletas a fim de recuperar algumas colecções, que se traduziram em propostas interessantes de leitura e cujos primeiros álbuns foram editados em Portugal mas que por razões que a própria razão (provavelmente) desconhece a sua continuação parece ter caído no esquecimento das nossas editoras.

Para iniciar, resgato do silêncio a série “W.E.S.T.”, uma colecção com a chancela das Edições ASA, cujo 1º álbum “A Queda da Babilónia” foi editado já no longínquo ano de 2005.

Misturando factos reais com ficção, é um acontecimento verídico – o desastre de comboio ocorrido em 22 de Outubro de 1895 na estação de Montparnasse, em Paris – o ponto de partida deste WEST, as iniciais de Weird Enforcement Special Team, uma task-force de 4 homens que é reunida para investigar uma sinistra conspiração que atenta contra os Estados Unidos, e que aparentemente está por detrás de uma série de injustificadas mortes de um conjunto de influentes pessoas, que tinham em comum o facto de pertencerem a um misterioso Clube Century. A acção desenrola-se numa América dos inícios do século XX.

Gostei bastante da elaborada narrativa, que muito apresenta sem muito revelar – assinada pela dupla Xavier Dorison e Fabien Nury, complementada com o bastante sóbrio e expressivo desenho do francês Christian Rossi, colorido em aguarela de tom sépia adequado – que constrói uma teia envolvendo sociedades secretas, forças ocultas e sinistras conspirações, o que complica a história o suficiente para que à medida que a leitura avança, ficamos nós leitores, presos pela curiosidade dos desenvolvimentos seguintes.

A desilusão chega com o final do álbum, mas não por culpa da história em si, mas sim porque encontrando-se a série dividida em ciclos, e correspondendo este álbum a primeira parte de um díptico, a sua conclusão acontece invariavelmente no 2º álbum “O Clube Century”, que ainda não foi editado em Portugal, mas cuja edição mais que se justifica, mais não seja para completar o arco.

Na série original, a editora francesa Dargaud prepara-se para lançar o 5º álbum, de uma colecção composta pelos seguintes títulos:

- 1. La chute de Babylone
- 2. Century Club
- 3. El Santero
- 4. Le 46e état
- 5. Megan

Fica aqui a minha parte feita, e parafraseio Fernando Pessoa, para lembrar que no que a WEST diz respeito, “O por-fazer é só com a ASA”.

WEST – 1. A Queda da Babilónia
Autores: Rossi, Dorison, Nury
1º Álbum, Cores, capa dura
Editora: ASA, 1ª edição de Maio de 2005

A minha nota:

11 comentários:

Bongop disse...

Olha! Esse eu nunca li, e agora sabendo que é uma série, provavelmente não irei comprar :P
Alguém me tinha falado que seria um One-Shot (ou então fiz confusão...)....

verbal disse...

Fazes bem! Sinceramente só se justifica a sua compra quando sair o segundo álbum ou então aprendes a ler francês! :)

kitt disse...

Boa iniciativ
Mas espero que a nova rubrica sirva para todas as editoras no activo Verbal (escluindo as extintas)e não apenas para "bater" na Asa.

refemdabd disse...

ÁH carago!!!! Até espumo de raiva com esses manganões que nos andam a dar baile. Mas é sabido por todos o que eu penso dessa gente que adquire os direitos de certas séries e depois não f**** nem saiem de cima. A ASA não está sozinha nesta dança, embora, pela dimensão do catálogo dela, seja a maior prevaricadora.

Cori disse...

Também tenho 2 volumes da série "O Regulador" e a editora não vai editar o 3º porque as vendas não atingiram o número suficiente, para respeitar a política de "perdas zero".

Só que a editora não é a Asa.

verbal disse...

"A ASA não está sozinha nesta dança, embora, pela dimensão do catálogo dela, seja a maior prevaricadora."

Ora nem mais! Mas tenho na minha bedeteca n colecções incompletas das mais variadas editoras que a seu tempo logo falarei aqui.

refemdabd disse...

Não sabia dessa da VitaminaBD em relação ao Regulador. Está mal, pois claro! Vão-me ouvir, é certo. O nº3 (Ophidia) pode-se encontrar na Heavy Metal nº1, vol XXXI, de Março de 2007.

verbal disse...

Relativamente à série do Regulador, da qual só possuo o 1º volume, mas que tem estado aqui em "debate", obtive do Pedro Silva (VitaminaBD) o seguinte esclarecimento:

"Em relação à continuação desta série, é falso que tenha afirmado que não editaria o 3º volume de “O Regulador”. A verdade – que afirmei e afirmo a qualquer interessado que me consulte sobre o assunto – é que a sua edição, ou não, está dependente das vendas do vol.2 atingirem o tal patamar mínimo, o que nem sequer é novidade já que o mesmo se passou com o volume anterior. Aproveito para esclarecer que esse patamar não permite “perdas zero”, mas sim limitar perdas a montantes aceitáveis. Esclareço ainda que, mesmo que o volume 2 não atingisse o referido patamar mínimo, mas a série terminasse no volume 3, a VitaminaBD editá-lo-ia. Contudo, tal não acontece: o volume 3 foi publicado em França há alguns anos e não conclui a história. Aliás, há algumas dúvidas de que a Delcourt venha a conclui-la."

Apesar de considerar legítimo o sentimento do Cori e do Refém, a verdade é que também compreendo a posição da VitaminaBD com a sua politica de "patamar mínimo". Portugal não é, infelizmente, um país de leitores de BD, nem um país de leitores somos, quanto mais de BD…

A politica da VitaminaBD, é um reflexo normal da sua dimensão e tendo em conta o seu catalogo, mas atente-se nos números:

Séries concluídas: Kingdom Come (4), Genetix (2), Bird (3), Tirésias (2), O Diabo dos Sete Mares (2) Hermann Trilogia USA* (3), Favole (3), Os Guardiães de Maser (6), Semente de Loucura (4), Synkha (3).
* álbuns Laços de Sangue, Verão de ’57 e À Sombra de Hollywood.

A concluir (previsivelmente) em 2009: Universal War One (6), Eu Vampiro (4), Do outro lado das nuvens (2), Korrigans (4).

para se concluir que não é das mais prevaricadoras!

Bongop disse...

Ainda tenho esperanças que seja editado esse terceiro volume, adorei os dois primeiros!

refemdabd disse...

O meu sentimento manter-se-ia se o que o Cori escreveu fosse acurado. Felizmente não é.

Também compreendo essa politica, conforme já tive a oportunidade de dizer: "ninguém gosta de andar a trabalhar só para aquecer" (isto também vale para a ASA e para qualquer outra editora). Neste caso, congratulo o Pedro Silva por sempre se disponabilizar para explicar e dar a entender parte do seu processo e estratégia editorial. A ti também, amigo Verbal, pela tua iniciativa.

sergio disse...

Bom a "ASA" está viva,lançou agora o 2º volume de >"Bórgia" e começou a "A Menina de Bois-Caiman",por isso não entendo porque não conclui as restantes séries.É falta de respeito pelos leitores...
E lanço uma alternativa já feita aliás por eles e outros:ofereceram com os jornais diários os volumes por um preço razoável.
Por exemplo "Thorgal" acho que teve prevista uma situação do genero

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...