04 junho, 2010

E todos os caminhos foram dar a Beja...

2º Dia. Domingo. Tomo o pequeno-almoço na companhia dos gémeos Fábio e Gabriel e do britânico Rufus. Ok... eles estavam na mesa ao lado!

A dinâmica do FIBDB mede-se também pela programação paralela ao festival. Hoje está prevista uma visita guiada ao centro histórico de Beja. Parece-me bem alinhar. Afinal ir a Beja e não conhecer a cidade é que me parece mal. Um grupo bem composto reúne-se no largo do Museu. Lá dentro, está patente uma exposição do amigo Jorge Miguel e do seu admirável trabalho em “Camões, De vós nem conhecido nem sonhado?”. Cá fora, o prof. Florival Monteiro apresenta-se. Irá ser o nosso guia desta viagem. O que se segue é uma lição de história (de Beja) deliciosa em pormenores. RECOMENDO! É que a paixão do prof. Florival pela cidade só encontra paralelo na nossa paixão pela BD. Uma manhã cinco estrelas!




Ao almoço fogem-nos as migas e a sopa de cação. Fica já combinado para o próximo ano. De regresso à Casa da Cultura, mais Hermann, mais álbuns para assinar. E tudo o que trouxe está assinado! Ainda há tempo para uma fotografia com este gigante da bd franco-belga!



Aproveito a presença de Civitelli para lhe pedir um Kit Carson. Este autor, para além do seu enorme talento, é de uma generosidade imensa. Irá passar a tarde inteira a atender pedidos de autógrafos sempre com um sorriso nos lábios. Adicionalmente ofertou a todos um desenho do Tex a cavalo com a Torre de Menagem do Castelo de Beja por detrás.



Guardo na mochila uma surpresa do amigo Rui – da colecção TEX gigante, a história “O Homem de Atlanta” desenhado pelo magnífico Jordi Bernet (sim senhora, o mesmo de Torpedo!).

Hoje percorro os restantes autores. Os brasileiros Fábio e Gabriel, de que não conhecia e cujas pranchas em exibição mostram bem a qualidade do trabalho desta dupla; Rufus Dayglo e sua “Tank Girl”, repetente nestas andanças por terras lusas e que revelou adorar Portugal, o ambiente calmo dos nossos festivais e a nossa cerveja. Tem bom gosto sim senhor! Aproveito igualmente para comprar as novidades BDJornal e Zona Gráfica (em 2 volumes). Mais tarde dedicarei umas linhas a estas edições aqui no blogue.

No final do dia descanso numa cadeira. Faço um balanço extremamente positivo deste festival. O festival é incrível em todas as suas vertentes: bedéfila, cultural e social. Dou os meus parabéns ao Paulo Monteiro e à Susa Monteiro pela excelente organização. É certo que o FIBDB passará a constar da minha agenda. Parto com a vontade de voltar! O VI FIBDB decorre até ao próximo dia 13 de Junho de 2010. Aproveitem!






4 comentários:

RuiR disse...

Ainda não foi este ano que consegui fazer a visita guiada :-( ... mas para compensar já devo fazer parte da "guest list" da Galeria do Desassossego :-)
É o eterno dilema, noite ou dia ?

Em relação aos autores presentes esta ano, realmente foi uma "colheita cinco estrelas". Foi um "fartote" de simpatia acompanhado de grande profissionalismo.

E nunca é demais realçar e elogiar a organização do festival.

verbal disse...

lol.. enquanto o Desassossego abrir portas desconfio que não conheces Beja! :)

Em relação aos autores, já a edição do ano passado tinha sido boa, mas a deste ano foi qualitativamente e quantitativamente superior.

Abraço

Bongop disse...

Como não "desassosseguei" consegui estar presente na visita! Acho que de outra maneira seria impossível!
:)

Abraço

Loot disse...

Valeu tudo a pena, foi um belo fim-de-semana.

É bom ir a estes eventos e o convivio ser cada vez maior e melhor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...