13 outubro, 2014

Regresso da G.Floy

Desde 2011 que a editora G Floy Studios não dava noticias por cá. Na altura lançou mais um (o sétimo) volume de HELLBOY (A Bruxa Troll e Outros Contos) e inaugurou uma nova série, com o primeiro volume de FELL (Cidade Selvagem). Depois foi um silêncio. Até agora.

Chegados a Outubro de 2014, a G.Floy acaba agora de anunciar o regresso ao mercado com um "ambicioso ambicioso plano de edições, aproveitando sinergias com outros mercados em que opera".

E o título com que se iniciará este programa de edições é o imensamente premiado e aclamado SAGA, de Brian K. Vaughan (um dos convidados da Comic-Con Portugal 2014) e Fiona Staples, uma das maiores surpresas dos comics independentes nos últimos anos. SAGA venceu seis Prémios Eisners (os Óscares da banda desenhada americana), e seis Prémios Harvey, e o seu primeiro volume antológico (que corresponde ao primeiro volume que a G.Floy editará em Portugal) venceu também o Hugo (o prémio máximo da ficção-científica). Com lançamento previsto para o Festival Amadora BD em inícios de Novembro, SAGA será um de três títulos que a G.Floy lançará no nosso país ainda este ano, num plano editorial que a G.Floy quer também marcar com livros de boa qualidade e preços acessíveis, e com um ritmo de lançamentos trimestral.

Não sabendo ainda quais os restantes dois títulos a que se refere o comunicado da editora, seria muito bom que um deles fosse a continuação de HELLBOY.

Para já está aí o volume um de SAGA.



Christine Meyer, fundadora e sócia gerente da empresa, é uma fã de longa data de comics, e tem quase vinte anos de experiência no mercado, primeiro como gestora de direitos de autores e editoras vários, e agora como editora. “Sempre gostei de comics independentes americanos, e tenho vindo aos poucos a aumentar as minhas edições em vários países. Quando o José de Freitas e o Rui Alves, com quem já trabalhei no passado, me abordaram com a ideia de estender este plano a Portugal, fiquei entusiasmada, e a parceria com eles tornou possível este projecto. Acho que, dentro do meio da banda desenhada em Portugal, poucas pessoas conhecem melhor o mercado, e ambos estão em posição de tratar da produção sem problemas. Podemos obter sinergias com co-edições que nos vão permitir trazer alguns dos melhores títulos de banda desenhada americana, a um ritmo muito bom”.

José de Freitas tem vindo a trabalhar em comics desde há 15 anos para cá, primeiro como editor e responsável pelas Edições Devir, mais tarde como coordenador das colecções que a Levoir e o jornal Público têm vindo a editar desde 2012, e como Editor Assistente da Panini Comics em Portugal, para as edições regulares de títulos da Marvel.

Rui Alves foi colaborador da Devir durante muitos anos, como responsável pela organização, grafismo e legendagem de comics, e tem vindo desde então a desenvolver trabalho para inúmeras editoras, portuguesas e estrangeiras, bem como para a Levoir/Público.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...