12 outubro, 2015

Hoje há o regresso de Jim Del Monaco


Quando se comemoram 30 anos sobre a publicação da primeira aventura no suplemento “Tablóide” do Diário Popular, Jim Del Monaco está de volta pela mão da ASA e chega esta semana às livrarias. O lançamento decorre hoje às 18h30, na FNAC do Chiado.

Inicialmente inspiradas em Jim das Selvas e tendo por pano de fundo a era colonial de meados do século passado, as aventuras de Jim Del Monaco desenrolam-se em torno dos mitos e lendas do grande continente africano, bem como dos clássicos intemporais da literatura e do cinema de aventura, suspense, mistério e ficção científica.

Os acontecimentos e personagens são tanto reais como ficcionados, mas estão sempre de alguma forma associados ao imaginário da época, embora por vezes pontuados por elementos descontextualizados e importados da modernidade.

Os enredos abordam os temas e situações de forma caricatural, numa linguagem humorística e apimentada, com desenlaces rápidos, inesperados, surreais e até mesmo absurdos, tendo unicamente por objetivo entreter e divertir de forma bem humorada.

Publicada regularmente entre 1986 e 1993, a série Jim Del Monaco conquistou vários prémios e distinções, destacando-se Melhor BD de 1986 para os leitores do “Tablóide”, Diário Popular; Prémio “Vinheta” – Melhor BD 1986; Prémio “Mosquito” – Melhor Argumentista 1985 e 1986; “Autores da década de 80” para o suplemento; “Espectáculo” d’O Primeiro de Janeiro (31/12/1989)

Em O CEMITÉRIO DOS ELEFANTES está o aguardado regresso de Jim Del Monaco, metido em novas aventuras: enfrentando zombies excitados, sendo perseguido por amazonas a precisar de dieta, descobrindo a última morada dos elefantes e interferindo com o programa espacial soviético. Uma edição especial, de histórias inéditas e recheada de extras, concebida para comemorar os 30 anos do mais improvável herói da era do colonialismo em pantufas.

Luís Louro, desenhador (n. 1965)
Luís Louro nasceu em Lisboa, em 1965, tendo sido desde muito cedo um apaixonado pela BD. A sua primeira banda desenhada foi criada com o argumentista António José (Tozé) Simões, em 1980, mantendo-se essa pareceria, sob o nome Louro & Simões, por mais de dez anos. Juntos produziram um grande número de histórias de aventuras, com especial destaque para a série Jim Del Monaco, que se tornou mítica no panorama da BD portuguesa, com 7 álbuns publicados entre 1986 e 1993. Em 1989, ainda em parceria com Tozé Simões, iniciou uma nova série, Roques & Folque, da qual saíram três álbuns publicados entre 1989 e 1992. A partir de 1993, a solo ou em colaborações pontuais, lançou a série O Corvo (1994), Alice na Cidade das Maravilhas (1995), Coração de Papel (1997), O Halo Casto, (2000), Cogito Ergo Sun (2001) e Éden (2002). Tem entretanto desenvolvido atividade nas áreas da ilustração e da fotografia, sendo sobretudo a esta última que se tem dedicado desde 2007. As suas obras têm sido apresentadas em diversas exposições individuais e coletivas, e estiveram presentes em alguns dos festivais mais relevantes da especialidade, nomeadamente em diversas edições do Festival de BD da Amadora.

António José (Tozé) Simões, argumentista (n. 1965)
Tozé Simões nasceu em Lisboa, em 1965. Cresceu no histórico bairro do Alto do Pina, onde conheceu Luís Louro, com o qual viria desde cedo a colaborar, enquanto argumentista, em várias publicações avulsas e nas séries Jim Del Monaco e Roques & Folque. Seguiu depois uma carreira profissional ligada à Banca e à Gestão de Empresas, áreas em que tem trabalhado ao longo dos últimos 26 anos. Há muito, portanto, distanciado da Banda Desenhada, nunca perdeu contudo o desejo de regressar aos argumentos com o seu parceiro de sempre e, sobretudo, ao serviço da personagem que em 2015 celebra 30 anos de vida.


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...