09 novembro, 2009

Sugestão de leitura para hoje

Photobucket

7 comentários:

Gio disse...

Como não posso estar sempre enganado, presumo que escolheste precisamente este album hoje, por esta semana ter ocurrido o aniversário da queda do muro de Berlim.Ideia luminosa, Verbal!
Abraço

refemdabd disse...

Eu, para contrariar (mas só para contrariar!) sugiro-te antes o "Astérix na Córsega", para mim um dos melhores. Este grande fosso foi o início do fim das grandes aventuras deste personagem, mas, sem dúvida, bem melhor que os dois últimos publicados (homenagens e celebrações à parte).
Comprei ao ToyBroker na Amadora o Ocatarinetabelachichix, esse grande líder Corso a quem os susceptiveis o agradam, hehehe! Nos álbuns da ASA não sei como se chamará, talvez Queijolão (como na versão Brasileira), mas uma coisa é certa, apanhar-me-ão nunca (e isto é muito forte) a comprar um álbum da ASA com as aventuras antigas. Obviamente dos novos não direi o mesmo, por falta de opção (mas adquiro sempre o original em Francês, que por sinal é sempre muito mais barato!).

refemdabd disse...

O muro de Berlim e Romeu e Julieta...muito pouco inspirado!

Gio disse...

Refemdabd
Tens razao quanto à qualidade deste album, até porque foi o primeiro depois da morte do Gosciny e vê-se logo bem a diferença. Mas este foi uma sátira ao muro de Berlim com o seu fosso no meio da aldeia. Eu esperava até à declaração de indepêndencia da Córsega para sugerir então esse album como leitura do dia.
:)
Nos anos 30 um canto o cantor Tino Rossi cantava "O catarineta bela, tchi tchi, ecoute l'amour t'appelle, tchi tchi"

verbal disse...

Caro Gio, efectivamente a intenção foi essa. Gosto da analogia que se pode fazer entre fossos e muros, entre deitar muros abaixo e criar pontes da concórdia.

Caro Refém, o álbum corso não era apropriado. Mas para te contrariar concordo contigo ...eheheh o aportuguesamento da ASA nos álbuns do Asterix até arranha a vista!!! E mais, sobre o Uderzo ainda aqui me vou prenunciar sobre o seu "álbum de ouro".

Abraço

refemdabd disse...

Compreendi bem a sugestão do muro e também conheço os refrões celebrizados pelo Rossi.

No entanto, afirmo mais a discussão de uma eventual independência do povo Corso ou Madeirense, porque não (?).

Na resenha das comemorações da queda do muro de Berlim, salta à vista a hipocrisia de uma Europa inteira que se regozija com tal, mas que durante 48 anos nada fez. Houve até quem contava com o muro para afirmar a grandeza do seu lugar na Europa (Thatcher). Foi necessário que aparecesse alguém verdadeiramente anti-comunista e que não tivesse medo de ser considerado como tal (ao contrário de toda uma Europa, Portugal também, é óbvio, com raras excepções de certos individuos) para ajudar quem vivia sobre o jugo opressor do Estalinismo ainda vivo (pois Khrushchev, Brejneve, Andropov, Tchernenko e mesmo Gorbachev eram seguidores ortodoxos do regime). Um actor de filmes B, um Papa reaccionário e um electricista cristão (quem sabe, agente da CIA) e todos na resistência Alemã oriental foram os únicos que conseguiram deitar abaixo o muro.
Por isso, não comemoro esta efeméride, pois foi como uma luta que observamos de fora sem intervir, mas depois vamos todos beber um copo como se tivéssemos ajudado a vencê-la.
Daí achar mais apropriado celebrar, ou antes apoiar, a vontade dos Corsos serem independentes e com eles lutar para que o consigam, e então irmos todos beber uns canecos.
O "Astérix na Córsega" é muito mais divertido na forma e no conteúdo do que o lamechas e "mensageiro" batido que é o "Grande Fosso" com a sua historieta à la Shakespeare misturada com a divisão de uma Alemanha que afinal não se odiava; tem o crédito de ter sido publicado em 1980 (talvez após o autor ter lido "O Adivinho"?!)

E, claro…sou susceptível! :P

refemdabd disse...

Que fique, no entanto, claro que era apenas para contrariar e que "muros" serão sempre inadmissiveis. Apenas tirei esse dia para sorrir aos Alemães, mas ao mesmo tempo com alguma vergonha.

Ah!...e sou susceptível!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...