21 outubro, 2021

Lançamento ASA: Astérix e o Grifo

Não podia deixar de passar o dia de hoje sem assinalar aqui o lançamento do novo álbum daquela que é provavelmente a personagem mais popular do universo  da banda desenhada, Astérix.
 
A nova aventura, «Astérix e o Grifo» leva o nosso herói, acompanhado pelo seu inseparável companheiro Obélix e pelo druida Panoramix, numa longínqua viagem para paisagens desconhecias, selvagens e geladas. O destino é o território dos Sármatas, situado muito a leste, em pleno Barbaricum.
 
Tudo começa com um sonho de Panoramix, onde velho amigo lhe pede ajuda.... está dado o mote para mais uma bela aventura, onde os vilões de serviço, são mais uma vez, os romanos, que querem capturar o Grifo, um animal meio águia meio leão, que é considerado sagrado para os sármatas. 

Mais curiosidades e detalhes sobre esta aventura podem ser lidas aqui.

Já disponível nas livrarias.

Ficha técnica:
Asterix e o Grifo
Colecção Astérix - Volume 39
De Jean-Yves Ferri e Didier Conrad
Cartonado, dimensões 21,8x29 cm, cores, 48 pags.
ISBN 9789892351209
PVP: € 10,90
Editora ASA

Abrem hoje as portas do 32º Amadora BD!

Em modo presencial começa hoje mais uma edição do festival de banda desenhada Amadora BD. Toda a programação pode ser consultada aqui. A abertura ao público é a partir de amanha. Este ano o evento apresenta-se em "nova" casa (emprestada?), localizada no Ski Skate Amadora Park. 
 
Não conhecendo o espaço em si, em termos de localização não me parece que seja dos sítios mais centrais e mais acessíveis para quem não se desloque de carro. Apesar da zona ser servida por transporte público de autocarro, chamo a atenção que muito provavelmente algumas das carreiras são capazes de não funcionarem ao fim-de-semana, ou funcionando será em horários reduzidos. A organização do festival disponibiliza um autocarro Amadora BD com o seguinte itinerário:  Estação da Reboleira > Núcleo Central (Ski Skate Amadora Park) > Biblioteca Municipal > Galeria Artur Bual > Estação de comboio da Amadora.

No que toca à programação a edição deste ano promete ser um regresso aos bons tempos do festival.
 
A lista dos autores convidados é uma das boas razões para se visitar o festival. Se da parte de autores nacionais, podemos contar com o melhor  que temos, e a lista é longa e de muita qualidade; em termos de autores estrangeiros, posso citar a presença de, por exemplo, Juanjo Guarnido. Para quem leu os magníficos «Burlão nas Índias» ou «Blacksad» sabe de quem estou a falar. Alain Ayrolles, o argumentista do "Burlão" também é outra das presenças. Outro nome que se destaca é o de Frank Pê. Foi o recente vencedor do prémio Uderzo para Melhor Desenho pelo álbum «A Fera». A edição portuguesa deste álbum é precisamente um dos lançamentos deste ano no Amadora BD. Outro nome a merecer a atenção será o George Bess, autor de outro magnifico, a adaptação de «Drácula». E é inevitável não mencionar Achdé, que tão boa conta tem dado de Lucky Luke nas suas novas aventuras. Não pretendo ser aqui exaustivo, e não quero ser injusto com as demais estrangeiros, mas estes nomes citados são os que chamam a minha atenção.
 
A listagem completa dos autores, nacionais e estrangeiros, disponíveis nas sessões de autógrafos  pode e deve ser consultada aqui.

Em termos de exposições, são 13 as mostras patentes. Estão divididas entre o núcleo central (Ski Skate Park), a Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos e a Galeria Municipal Artur Bual. Compreendo a ideia de espalhar o festival pela cidade, mas na óptica do visitante esta ideia não funciona de todo. Os locais são afastados uns dos outros, e mais vez coloca-se a questão dos transporte e horários de fim-de-semana.

 
E novidades? Bem, a verdade é que não deve haver carteira que resista. São mais de duas dezenas, praticamente para todos os gostos. Já tinha anteriormente feito aqui uma antevisão das principais novidades que as editoras prepararam, e nos próximos dias irei dando nota individual dos lançamentos. 

Está apresentada a edição deste ano, e encontramo-nos por lá! Bom festival!
 


20 outubro, 2021

Lançamento DEVIR: Demon Slayer - Livro 4: A Lâmina Mais Poderosa

Devido a problemas na gráfica (falta de papel?) as novidades de Setembro da DEVIR só agora é que começam a chegar aos habituais pontos de venda, o que levou que o anuncio das novidades de Outubro tenha sido adiado.
 
Assim dentro das novidades de Setembro/Outubro encontramos este 4º volume da saga «Demon Slayer», disponível a partir do dia 22.
 
A LÂMINA MAIS PODEROSA
Depois da batalha feroz com um demónio, dentro de quartos em constante mudança, Tanjirou tenta descobrir quem é o espadachim com a máscara de cabeça de javali e o que pretende ele. Mais tarde, uma nova missão, Tanjirou e os seus companheiros enfrentam uma ameaça misteriosa e horripilante...
 
Ficha técnica:
Demon Slayer - Livro 4: A Lâmina Mais Poderosa
De Koyoharu Gotouge
Capa mole, dimensões 12,6 x 19 cm, p/b, 192 págs.
ISBN 9789895595068
PVP: € 9,99
Edição DEVIR

Lançamento ALA DOS LIVROS: O Relatório de Brodeck (Edição integral)

Há uns dias atrás mencionei aqui a edição de "peso" que a Ala dos Livros preparou para o festival Amadora BD. Hoje trago aqui a respectiva nota de lançamento. AVISO: É um livro grande! Em formato italiano, de dimensões 298x242x37 mm, com 328 páginas e peso de 1,721 Kg.  Vêm com uma caixa incluída para que possa ser colocado ao alto. Trata-se de «O Relatório de Brodeck», a adaptação do premiado romance de Philippe Claudel, adaptado para novel gráfica pelo autor francês Manu Larcenet.

O autor, que andava praticamente esquecido por terras lusas, depois da publicação em 2003 de «Os Cosmonautas do Futuro» (ASA), voltou este ano às luzes da ribalta com a publicação do primeiro volume de «O Combate Quotidiano» (A Seita/Arte de Autor) que abriu o apetite para este "relatório".
 
Quem já conhece e leu teça os mais rasgados elogios a esta obra. E a própria editora não se poupou a esforços para trazer a melhor edição possível. Em versão integral, apresenta-se dentro de uma caixa, cujas capas reproduzo aqui em baixo, e que permite guardar o livro na vertical.
 
Lançamento no Amadora BD.
 
 
O RELATÓRIO DE BRODECK 
De regresso à sua aldeia, Brodeck retoma o seu antigo trabalho de escrivão. Um dia, um estrangeiro vai viver para a povoação, mas os seus modos e hábitos estranhos levantam suspeitas; o seu discurso é formal, faz longas e solitárias caminhadas e, apesar de ser extremamente cordial e educado, nada revela sobre si próprio. Quando o estrangeiro começa a retratar a aldeia e os seus habitantes em quadros pouco lisonjeiros mas perspicazes, os aldeãos matam-no. As autoridades, que assistiram impávidas ao linchamento, ordenam a Brodeck que escreva um relatório que branqueie o incidente. À medida que escreve o relatório oficial, Brodeck passa também para o papel a sua própria versão da verdade numa narrativa paralela. 
 
Ficha técnica:
O Relatório de Brodeck (Edição integral)
Baseado no romance de Philippe Claudel, desenho de Manu Larcenet
Cartonado, formato italiano, 298x242 mm, p/b, 328 páginas.
ISBN: 978-989-53039-6-0
PVP: € 39,99
Edição ALA DOS LIVROS

18 outubro, 2021

As novidades do Amadora BD

A poucos dias do inicio de mais uma edição do Amadora BD, a programação completa já se encontra no sitio disponível em  www.amadorabd.com. Este ano a lista de autores convidados promete, trazendo até ao festival nomes como Juanjo Guarnido, Georges Bess ou Frank Pé, apenas para citra alguns dos estrangeiros e mais ainda a 'nata' dos autores nacionais. A par das presenças, já se sabe que as novidades editoriais são outro dos focos de interesse de um festival, e este ano, com o regresso ao modelo presencial, o Amadora BD transforma-se na montra das principais editoras portuguesas de banda desenhada. É um regresso ao bons tempos com o elevado número de novidades/lançamentos durante o festival. Mais que um festival vamos ter verdadeiramente uma feira de banda desenhada.
 
Um olhar sobre as principais editoras nacionais e constata-se que teremos mais de duas dezenas de novidades bedéfilas durante o festival. E até é possível que me falhe aqui um ou outro título. A oferta abrange autores portugueses, brasileiras, franco-belgas, italianos. Quis uma feliz coincidência que a data de lançamento da nova aventura do Asterix calhasse no primeiro dia do Amadora BD. É um bom prenúncio. Mas haverá outras obras de “peso” a começar pelo «Relatório» da Ala dos Livros (328 páginas, 1,72 kg de peso). A Seita e a Polvo dividem o pódio com o maior número de lançamento (8). A Escorpião Azul traz-nos autores portugueses. A Arte de Autor lança mais um duplo «Armazém». A Levoir apresenta o último clássico. A Insoonia junta-se à festa e a Kingpin regressa à edição.
 
As Novidades
 

Novidades d’ A Seita:

  • Colecção "Lucky Luke visto por...": - Jolly Jumper já não Responde, de Guillaume Bouzard 
  • A Fera: Uma História Verdadeira do Marsupilami, de Zidrou e Frank Pê
  • Tu És A Mulher Da Minha Vida, Ela A Mulher Dos Meus Sonhos, de Pedro Brito e João Fazenda (nova edição)
  • Macho-Alfa vol. 1, de Filipe Pina e Osvaldo Medina
  • O Homem de Lugar Nenhum, de Tiago Barros e Fábio Veras
  • Comissário Ricciardi vol. 1: Primeiros Inquéritos, de Maurizio de Giovanni, Sergio Brancati, Daniele Bigliardo, et. al.
  • Dylan Dog vol. 6: O Número 200, de Paola Barbato e Bruno Brindisi

 

Novidades da Ala dos Livros:

  • Relatório de Brodeck, de Manu Larcenet

 

Novidades d’A Seita e Arte de Autor:

  • Sapiens Imperium, de Sam Timel e Jorge Miguel (co-edição)

 

Novidades da Arte de Autor:

  • Armazém Central, vol. 6/7 (duplo), de Loisel e Tripp
  • No Inicio, Eram Dez…, de Pascal Davoz e Callixte

 

Novidades da ASA:

  • Asterix e o Grifo, de Jean-Yves Ferri e Didier Conrad

 

Novidades da Escorpião Azul:

  • Fogo Sagrado, de Dário Duarte
  • O Coração na Boca, de Horácio Gomes
  • Abandonos, de Ricardo Santo

 

Novidades da Kingpin Books:
  • O Pescador de Memórias, de Miguel Peres e Majory Yokomizo

 

 Novidades da Isoonia Edições:
  • O Homem-Voador, de José Pinto Carneiro e Álvaro 

 

Novidades da Levoir:
  • Amor de Perdição (Clássicos da BD – vol. 14), de João Lameiras e Miguel Jorge

 

Novidades da Polvo:
  • Edibar, vol. 3, de Lúcio Oliveira
  • Edibar, vol. 4, de Lúcio Oliveira
  • Edibar, vol. 5, de Lúcio Oliveira
  • Escuta, formosa Márcia, de Marcelo Quintanilha
  • A Revolta da vacina, de André Diniz
  • Matei o meu pai e foi estranho, de André Diniz
  • Quarentugas, de André Oliveira e Pedro Carvalho
  • O jogo das alterações climáticas, de Bruno Pinto, Quico Nogueira e Nuno Duarte 
 
As Capas (... algumas delas)
 





 

17 outubro, 2021

«Bottoms Up» excluido dos PBDA!

Bem diz, e com razão, um ditado popular que o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita. Quase que se aplica aos Prémios de Banda Desenhada da Amadora - PBDA. Há uma semana atrás tinha aqui publicado a listagem dos nomeados deste ano, e ainda o festival não abriu portas e já houve desenvolvimentos.
 
Rodolfo Mariano, autor de «Bottoms Up», socorreu-se das redes sociais para revelar que solicitou que a sua obra, nomeada para a categoria de Melhor fanzine/edição independente, fosse retirada do concurso. A razão, válida acrescento eu, prende-se com o facto desta obra preencher os requisitos necessários para ser admitida na categoria principal, de Melhor Obra de Autor Português, uma vez que se trata de uma edição da Associação Chili com Carne, assinada por autor português, com 64 páginas de banda desenhada, registo de ISBN n.º 978-989-8363-44-2, depósito legal e distribuição comercial, não podendo como tal ser considerado com um fanzine. 
 
O autor resolveu não aceitar aquilo que considera ser uma "despromoção". O assunto foi resolvido pela organização/júri dos PBDA com a simples exclusão da obra na categoria em que se encontrava nomeada. A categoria de Melhor fanzine/edição independente concorre agora apenas com 4 nomeados.
 
É mais um caso a que nos já habituamos nos PBDA. O deste ano ilustra bem aquilo que eu penso: o júri não deve ler as todas as obras que nomeia, preocupa-se apenas em apresentar uma listagem de obras e autores candidatos diversificada, para dar a imagem de uns prémios plurais, ou como alguém já aqui disse "para preencher quotas". Só assim se justifica, por exemplo a gritante ausência do excelente e poético «Apesar de Tudo» na categoria de Melhor Obra Estrangeira ou a inexplicável nomeação do «Vida de Adulta» na categoria de Melhor Edição Portuguesa de BD. sem que nada o justifique. Portanto nada de novo para os lados da Amadora, onde os respectivos prémios em vez de credíveis tornaram-se risíveis!

15 outubro, 2021

Lançamento LEVOIR: «Clássicos da Literatura em BD» - vol. 13: Robinson Crusoé

Nos habituais pontos de venda encontramos «Robinson Crusoé», o 13º e penúltimo volume da colecção Clássicos da Literatura em BD, numa edição da Levoir. Trata-se da adaptação do primeiro romance de Daniel Defoe, publicado originalmente em 1719. Defoe foi comerciante, empresário, homem de ação, panfletário, jornalista, romancista, aventureiro, tudo isso durante um período particularmente turbulento da história de Inglaterra.
 
Baseado na vida de Alexander Selkirk, é, como escreveu Defoe, uma narrativa ao mesmo tempo alegórica e histórica, uma abordagem do modo como um homem conseguiu sobreviver pelo modo engenhoso e imaginativo como criava e usava os utensílios que conseguiu recuperar do navio e que o ajudavam a enfrentar o desamparo e a solidão.
 
Em 1652, Robinson  um jovem com espírito aventureiro, que se rebela contra a vida pacata, metódica e rotineira da classe média de York, Inglaterra, embarca, contrariando os conselhos do seu pai. Numa das suas viagens uma tempestade faz o navio onde estava a bordo naufragar. Único sobrevivente do naufrágio, dá à costa numa ilha deserta onde, ano após ano, leva uma existência solitária.... Sozinho, com a sua Bíblia, luta para sobreviver e melhorar o seu quotidiano, enfrentando a terrível sensação de estar a sofrer um castigo.... Sozinho, até ao dia em que aparece Sexta-Feira, um jovem indígena que vai perturbar o seu isolamento. 
 
Ficha técnica:
ROBINSON CRUSOÉ
Colecção «Clássicos da Literatura em BD» - Livro 13
Adaptação de Christophe Lemoine e desenho de Jean-Christophe Vergne
Capa dura, formato 210 x 285 mm, cores, 64 págs.
ISBN 9789896828882
PVP: € 10,90
Edição LEVOIR

14 outubro, 2021

Lançamento ELSINORE: Sapiens - Os Pilares da Civilização (Novela Gráfica, vol. 2)

Diz uma conhecida cadeia de distribuição que no seu top das obras em banda desenhadas mais vendidas em 2020 se encontra o primeiro volume da adaptação ilustrada de «Sapiens: História Breve da Humanidade» para novela gráfica. Apesar de não conhecermos os números, é verdade que chegou a segunda edição, e também é inegável o sucesso da obra original que deu origem a esta novela gráfica. 

Em «A Origem da Humanidade» o autor Noah Harari contou-nos a história de um simples símio que acabaria por se tornar o rei do planeta Terra, capaz de dividir o átomo, voar até à Lua e manipular o código genético da vida. Permitiu-nos assistir ao primeiro encontro entre sapiens e neandertais, à extinção dos mamutes e dos tigres dentes-de-sabre, e às descobertas que acabaram por definir-nos enquanto caso único na Natureza.
 
Segue-se agora o lançamento do segundo volume (de cinco previstos). Em «Os Pilares da Civilização» Yuval Noah Harari, em parceria com o escritor David Vandermeulen e o ilustrador Daniel Casanave, faz-nos uma vez mais viajar através dos séculos, investigando, desta feita, uma das maiores transformações da História: a Revolução Agrícola e as suas inesperadas consequências para a sociedade humana.
 
Já disponível nas livrarias.
 
Ficha técnica:
Sapiens - Os Pilares da Civilização (Novela Gráfica, vol. 2)
De Yuval Noah Harari, Daniel Casanave
Capa dura, formato 20,5x27,5 cm, cores, 256 págs.
ISBN 9789895647644
PVP: € 29,99
Edição ELSINORE