01 abril, 2012

Leitura: Death Note vol. 1 - Aborrecidos


Não sou um leitor de Manga. Ainda assim experimentei as edições portuguesas de Astroboy ou Dragon Ball mas fiquei longe de me entusiasmar, ao contrário do que aconteceu com a série de anime do segundo titulo alguns anos atrás. E depois há o formato de leitura. Não aprecio particularmente ler do fim para o início, da direita para a esquerda. Mantenho o estranho hábito ocidental. Mas embarquei na leitura na recente aposta da Devirporque gosto desta (nova) editora – no universo manga. E que surpresa que tive. Direi mais… que viciante surpresa! Li de forma vertiginosa as 190 páginas do primeiro volume de “Death Note”.

Capa do 1º volume
Em “Death Note” a história escrita por Tsugumi Ohba envolve-nos num magnífico enredo psicológico entre dois antagonistas, que vai evoluindo para um desfecho que estou longe de imaginar. Valores como o bem e o mal confundem-se aqui numa lógica onde os fins justificam os meios. Uma narrativa com um fio condutor que nos prende a cada página que lemos. A arte de Takeshi Obata em muito contribui para uma leitura intensa, com o seu desenho detalhado e realista numa planificação que faz sobressair os momentos mais intensos.

Este primeiro volume “Aborrecidos” começa com um entediado deus da morte (um “shinigami” no folclore japonês) chamado Ryuk que para se divertir deixa cair o seu caderno da morte (“death note”) no mundo dos humanos. O death note é um caderno especial com regras de utilização. Lá inscrevem-se o nome de todos aqueles que vão morrer. A premissa desta história é excelente. O caderno é encontrado por Light Yagami, um jovem estudante de 17 anos, um dos melhores alunos do Japão, que após algum cepticismo inicial apercebendo-se do poder de vida e de morte que a posse do caderno lhe confere, decide criar um mundo novo onde o mal não tem lugar, através da eliminação de todos os criminosos. Está criada a figura de Kira, o salvador para uns e um assassino para outros.

Consequência directa, o elevado número de mortos entre a população criminal, desperta a atenção das polícias de todo o mundo, e em especial de um enigmático detective particular, tido como o melhor, cuja verdadeira identidade ninguém conhece, que se identifica apenas por L. A sua missão passa agora por deter Kira. Começa então um interessante jogo do gato e do rato, sem contudo que nos apercebamos quem é que persegue quem.

Como primeira leitura ultrapassou largamente as minhas espectativas relativamente a uma Manga. E isto não é uma brincadeira de 1 de Abril. Fortemente recomendado a quem gosta de uma boa história em banda desenhada. Serão 12 volumes. Espera-se agora que a Devir acompanhe rapidamente as fortes espectativas que conseguiu gerar com esta edição.

(a página apresentada para ilustrar o texto não pertence à edição portuguesa da Devir)

Death Note – Aborrecidos
Autores: Tsugumi Ohba (argumento) e Takeshi Obata (desenho)
Volume 1, preto e branco, TPB
Editora: Edições Devir, 1ª edição de Janeiro de 2012
A minha nota:

15 comentários:

Lucaimura disse...

Concordo contigo em relação à dificuldade de leitura das Mangás. Demorei bastante a habituar-me :).
Em relação ao Death Note, gostei bastante da edição da Devir (vamos ver se continuam assim!!). A história é bastante boa e cativou-me o suficiente para querer comprar o próximo número... vamos ver se sai!!

Um abraço.

Luís "Lucaimura" Cabral

verbal disse...

Viva Lucaimura, obrigado pelo feedback rapidíssimo :)
Eu estou rendido ao Death Note. Acho a história excelente e espero ler os 12 volumes em português. Que o desfecho final não me desiluda. Abraço

João Figueiredo disse...

Hoje era para ter ido à procura de várias BD's, entre elas o 17 do Dragon Ball e este Death Note. Ler no sentido oriental não me fez assim tanta confusão.
Estou ansioso para começar a ler Death Note. Nunca vi muito o anime (aliás, não acompanho já desenhos animados), mas o que vi gostei. E há um puto cosplayer português(sim, eles são putos de 14, 15, 16 anos) que faz um cosplay desta série excelente...deve ter gasto pouco no fato.

Loot disse...

Finalmente vejo o Verbal a ler mangá entusiasmado eu sabia que este dia chegaria, no fundo só tens de dar uma hipótese :)

Experimenta Pluto não vais ficar decepcionado.

Quanto a Death note é dos meus predilectos apesar de a 2º metade não ser tão boa como a 1º que é genial

Bongop disse...

LOL
O Verbal pega na primeira Manga para pessoas crescidas e gosta!!!!
Espero que isso não se torne num mau hábito Sr. Verbal... é que há por aí tanta Manga deste genero e melhor...
:D

Estou com o Loot! A primeira parte é melhor que a segunda.

Se quiseres ler isto em condições sugiro que esperes pelo 2º volume para ver o tempo em que a Devir demora entre livros... depois escolhes entre esperar anos para acabar, ou viras-te para o inglês.
Se demorar o mesmo que Walking Dead... são 12 anos para concluir!

:D

verbal disse...

@João, faz-me impressão ler no sentido contrário. Não sou grande adepto de se manter estas normas quando não trazem qualquer valor acrescentado, antes pelo contrário, até retiram prazer à leitura. Nem conhecia a série de anime antes de ler o livro, apesar de já ter percebido que qualquer manga rapidamente se transforma em anime. Abraço

@loot, eu dou sempre hipóteses a boas bandas desenhadas independente da sua origem. Aliás em matéria de manga, já tinha lido com bastante agrado "Um Homem que Caminha" de Jiro Taniguchi. Agora as edições da ASA nesta matéria não se enquadram no meu perfil de leitura. Gostei agora da Devir e espero mais manga em português. Abraço

@bongop, finalmente uma manga para adultos em português...lol
Epá não comecem a dizer que o final de Death Note é decepcionante :) mas tenho fé que Devir vai apostar em força nesta série, afinal encaixa-se no perfil dos novos leitores de bd.
Abraço

Bongop disse...

Não disse que era decepcionante!
Disse que a primeira parte era melhor que a segunda!
:P
Se leres a série vais perceber o porquê desta opinião!
;)

Abraço

Z. disse...

Não tenho problemas em adaptar-me à "forma" nipónica de ler Manga (qualquer publicação japonesa, aliás, e leio algumas em versões da Dark Horse (para já recomendar-te-ia MPD Psycho ou Kurosagi Corpse Delivery Service). Apesar de conhecer este manga (admito que superficialmente) fiquei deveras curioso com a tua análise à edição nacional. Vou comprar e a culpa é tua. Toma! ;)

verbal disse...

@bongop, não me decepcionarei se conseguir ler os 12 volumes em português :) Quando referes primeira parte são os seis primeiros volumes? Abraço

@Z, de certeza que não te vais arrepender.... o desenvolvimento da história puxa por nós enquanto leitores. Pessoalmente sou grande entusiasta de histórias onde se manifesta a natureza humana no seu melhor e no seu pior. Abraço

Assistir Online Death Note disse...

no começo foi dificil mesmo, mas com o tempo acostumamos..

refemdabd disse...

hehehe...eu bem te avisei, agora começa a gastá-lo a sério e vai lá comprar o Pluto, o 20th Century Boys, Monster, e o absolutamente maravilhoso e "super japonês" Kurosagi Corps Delivery Service, depois o OOKU, Children of the Sea, e também, claro, o incontornável Akira. Quando acabares estes, dou-te mais alguns títulos, mais difíceis.
Isso de ler ao contrário é a mesma coisa que ler à Ocidental, mas em vez de utilizares a mão direita para virares a página, usas a esquerda!

Quanto à DEVIR, da qual eu também gostava muito, mas depois deixei de gostar (é lá, isto parecia o nome daquele personagem do Humpapá, Dente Único, que passou a chamar-se Dente Único Que Perdeu o Dente e Já Não Tem Nenhum!). Não tenho paciência para esperas e incertezas. Se a DEVIR dissesse que iria publicar um livro de dois em dois meses, até embarcaria na aventura, mas não dizem coisa alguma. Mesmo nesse ritmo, seriam dois anos até ler o fim da obra. Gastar dinheiro para ter obras incompletas foi chão que já deu uva...ou não deu! Agora, a livros com continuação só se puder comprar noutra língua se na nossa falhar. Já não tenho idade para esperar 12 anos por um fim, e, pior, já não sou ingénuo para pensar que esse fim chegará de facto. Dizer-me-ás que as intenções do editor são boas, que devemos dar-lhe uma oportunidade, se assim não for nada mudará. Pois, temos pena. Eu quero é que o editor se lixe (com o devido respeito, isto é). Que pense bem no que vai fazer antes de o fazer, pois apostas fazem-se no Casino, sabendo muito bem que na sorte não se deve confiar. Que tenha um plano, que o anuncie e o execute. Que se deixe de apostas, que eu estou farto de ser o cavalo de serviço, esfalfando-me para comprar os livros e depois nunca ver a meta (não foi a melhor analogia, mas enfim).

Quanto ao Death Note: é interessante que os nomes dos protagonistas comecem ou sejam um "L". No japonês (nihongo) o "L" não existe, e os japoneses têm imensa dificuldade em dizê-lo, ou não conseguem mesmo.
Na próxima vez que te encontrar, vou-te dizer como acaba (hehehe). Toma.

Anónimo disse...

olá
Só para acrescentar, de fonte segura, que o 2º volume do Death Note sai sai sim senhor!
Sei também que o volume 3, em português está já em preparação, por isso desenganem-se os cépticos :).
E boa mangá!

Optimus Prime disse...

"Quanto à DEVIR, da qual eu também gostava muito, mas depois deixei de gostar (é lá, isto parecia o nome daquele personagem do Humpapá, Dente Único, que passou a chamar-se Dente Único Que Perdeu o Dente e Já Não Tem Nenhum!). Não tenho paciência para esperas e incertezas. Se a DEVIR dissesse que iria publicar um livro de dois em dois meses, até embarcaria na aventura, mas não dizem coisa alguma. Mesmo nesse ritmo, seriam dois anos até ler o fim da obra. Gastar dinheiro para ter obras incompletas foi chão que já deu uva...ou não deu! Agora, a livros com continuação só se puder comprar noutra língua se na nossa falhar. Já não tenho idade para esperar 12 anos por um fim, e, pior, já não sou ingénuo para pensar que esse fim chegará de facto."

Eu não teria teclado melhor refem :)

verbal disse...

@Refém, seja bem aparecido por estas bandas! Espero que o período de nojo da blogosfera tenha acabado! :D

Sobre a Manga, eu acredito que haja um universo à espera de ser descoberto, mas o orçamento não dá para tudo e e prioridades há em termos bedefilos!

Quanto ao Deatn Note em português, acredito que haja pernas para andar, porque a cedência de direitos não deve ter sido feita sem uma garantia de publicação da obra completa. Ou isso ou o japoneses não percebem nada disto!

Abraço

verbal disse...

@anónimo, agradeço as óptimas noticias! A Devir tem de começar a corresponder às expectativas e aqui falo para além de Death Note, de Walking Dead e Sin City, para não perder leitores. Aguardemos com impaciência a confirmação. Abraço

@Optimus, sou uma pessoa de fé... na Devir! :D
Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...