23 maio, 2010

A BD no Centenário da República

No passado dia 18, na sequência da assinatura de um protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal da Amadora e a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR), foi apresentada a programação nacional de Banda Desenhada a desenvolver no âmbito das comemorações do Centenário da Republica.
Entre as várias iniciativas previstas, destaca-se a exposição ”A Primeira República na Génese da Banda Desenhada e no Olhar do Século XXI”, que se divide por cinco temas fundamentais: A 1ª República e a Amadora, A Caricatura Modernista e a 1ª República, O primeiro filme de animação português, A Génese da Moderna Banda Desenhada Portuguesa e A 1ª República na banda desenhada portuguesa contemporânea. Esta exposição está prevista desdobrar-se em três formatos de apresentação pública. O primeiro, entre 2 de Junho e 5 de Outubro no CNBDI (Amadora). Numa segunda fase, entre 22 de Outubro e 7 de Novembro, constitui-se como a exposição central do 21º Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora – Amadora BD, que tem justamente como tema “O Centenário da Republica” e finalmente numa terceira fase, será itinerante e percorrerá todo o território nacional.
O programa nacional de banda desenhada contempla, ainda, a reedição integral da obra de Stuart Carvalhais - Quim e Manecas - parte integrante de O Século Cómico entre os anos de 1915 a 1918, da autoria do investigador João Paulo de Paiva Boléo. Aliás, o Quim e o Manecas, dois miúdos da Lisboa que Stuart conheceu, foram agora redesenhados por Richard Câmara e serão os anfitriões das Comemorações Nacionais do Centenário da República.
Por fim, está prevista a edição de um álbum de banda desenhada portuguesa sobre a Primeira República. Intitulado "É de Noite que Faço as Perguntas" conta com o argumento de David Soares e os desenhos de Richard Câmara, André Coelho, Daniel Silvestre, João Maio Pinto e Jorge Coelho. A narrativa ficcionada seguirá com rigor a história e cronologia republicanas, iniciando-se no final do século XIX, em 1891, com o Ultimato Inglês, e cessando com o Golpe Militar do 28 de Maio de 1926. Uma edição da Gradiva com o patrocínio da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República.

1 comentário:

refemdabd disse...

Quem é que vai financiar tudo isto e com quanto? Quem vai ser o responsável pelo resultado? Pois se a coisa não correr lá muito bem (na minha perspectiva, isto é) quero um nome para desancar...

Quim e Manecas é uma excelente notícia. Sou um fã de Stuart de Carvalhais, tendo já alguma coisa, mas longe de ter um integral das aventuras desses dois putos de Lisboa. Venha de lá esse livro. Espero que se venda a um preço decente, e não sirva para chupar o coleccionador à conta do dinheiro dos subsidias pagos...por mim e outros.

Quanto ao "É de noite que faço perguntas"...o título é triste e pretensioso...chega de "intelectualóidisses", NHICA-SE! E de dia, nunca fazes perguntas meu marmelo?!!! Estou farto deste pessoal que tem a mania que é profundo e que tem que arranjar um título que se coadune com a sua condição de auto proclamado gajo iluminado. De qualquer maneira, os nomes apresentados podem fazer alguma coisa como deve de ser. Veremos! Surge-me uma dúvida: quantas páginas vão ter o livro? É um período muito rico em história e nem sempre fácil de esmiuçar.
Espero que a História esteja lá conforme deve estar e deixem de fora o romantismo inapropriado.
Faço votos de sucesso, pois estou curioso para ver o resultado, assim como esperançoso que preencha as melhores expectativas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...