05 outubro, 2010

21º Amadora BD: Nomeados aos Prémios Nacionais

Foram divulgados na página do Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem (CNBDI) os nomeados nas diferentes categorias, a saber: Melhor Álbum Português, Melhores Argumento e Desenho para Álbum Português, Melhor Álbum Estrangeiro editado em Portugal, Melhor Ilustração para Livro Infantil, Melhor Fanzine, Melhor Álbum de Tiras Humorísticas, Clássicos da 9ª Arte e Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira, para os Prémios Nacionais de Banda Desenhada atribuídos no festival Amadora BD.

Relembro que o regulamento impõem que podem concorrer aos Prémios Nacionais de Banda Desenhada, todos os álbuns / livros de BD publicados em português por uma editora portuguesa entre Setembro de 2009 e Julho de 2010 (inclusive). Assim, reunido o júri, são estes os nomeados:

MELHOR ÁLBUM PORTUGUÊS
21º Amadora BD Album Português

Nesta categoria não posso deixar de evidenciar duas ou três coisas. A primeiro comentário é que li todos os álbuns nomeados. Quero com isto dizer, que ao contrário do que aconteceu com os nomeados do ano passado, este ano todos os álbuns podem ser encontrados em livrarias. Ponto positivo. O segundo comentário vai para o (merecido, devo acrescentar) reconhecimento do trabalho de Mário Freitas, responsável pela editora Kingpin Books, na sua aposta em autores portugueses. O resultado são duas nomeações pelos álbuns A FÓRMULA DA FELICIDADE - Vol. 2 e MUCHA. Dois em cinco para uma pequena editora convenhamos que é obra feita!
O último comentário que estas nomeações me merecem é a inexplicável ausência do álbum AS INCRÍVEIS AVENTURAS DE DOG MENDONÇA E PIZZABOY, que só vai e registe-se na sua 3ª edição! No seu lugar temos um Rui Lacas num dos seus piores registos com o álbum ASTEROID FIGHTERS. Nota negativa!


MELHOR ARGUMENTO PARA ÁLBUM PORTUGUÊS
21º Amadora BD Argumento Português

Nesta nomeação já temos o PizzaBoy, que é para mim um vencedor antecipado!


MELHOR DESENHO PARA ÁLBUM PORTUGUÊS
21º Amadora BD Desenho Português

Dois apontamentos: depois da injustiça do ano passado, este ano espero que fique reparada a falta com Osvaldo Medina; considerar a concurso a prémios de banda desenhada um livro de ilustrações - ISRAEL - levanta-me algumas questões. Nada a apontar ao talento de Ricardo Cabral, mas ilustração não é BD!


MELHOR ÁLBUM ESTRANGEIRO
21º Amadora BD Album Estrangeiro

Sabem quem ganhou? A ASA. Esta categoria peca pela falta de verdadeira competição entre o melhor que se publicou em Portugal e está tudo dito!


CLÁSSICOS DA 9ª ARTE
21º Amadora BD Classicos Nona Arte

Fica de novo o registo do "esquecimento" do trabalho de Manuel Caldas!


MELHOR FANZINE
21º Amadora BD Fanzine

Não sendo uma das categorias que acompanhe de perto, só me oferece dizer que gostei bastante da versão de Fernando Bento, do clássico "Moby Dick" de Herman Melville, publicada no número especial dos Cadernos Moura BD.

Quanto às restantes nomeados, destaco o trabalho de Nelson Martins, com CELIBATAIRES, álbum publicado em França, na categoria MELHOR ÁLBUM DE AUTOR PORTUGUÊS EM LÍNGUA ESTRANGEIRA do qual é já o vencedor, uma vez que é o único trabalho que concorre nesta categoria.

E porque são géneros que não acompanho, indico aqui e apenas para memória futura, os nomeados nas categorias de Melhor Ilustração para Livro Infantil e Melhor Álbum de Tiras Humorística:

MELHOR ILUSTRAÇÃO PARA LIVRO INFANTIL
- Gaturro e o Mistério das Cinco Ágatas, de Nik, Gradiva Publicações
- O Homem que ia Contra as Portas, de Richard Câmara, Everest Editora
- Que grande Abóbora Mimi!, de Korky Paul, Gradiva Publicações
- Para que serve o Ouriço, de Raffaello Bergonse, Everest Editora
- Quem dá Prenda ao Pai Natal?, de Raquel Pinheiro, Gradiva Publicações

MELHOR ÁLBUM DE TIRAS HUMORÍSTICAS
- Dilbert, Cumprir Objectivos Vagos de Scott Adams Edições ASA
- Zits, Paixão e Outros Usos para , Hormonas em Excesso, de Jerry Scott e Jim Borgman, Gradiva Publicações

E fica feita a apresentação dos nomeados de uns prémios ditos nacionais que necessitam urgentemente de uma revisão do seu regulamento, sob pena de perca de credibilidade!

17 comentários:

Loot disse...

Também estranhei a ausência do Pizzaboy na categoria de melhor livro de BD e até de melhor desenho. Se houvesse prémio para melhor balonagem concordo que não podia ser nomeado, mas pronto.

O Mário Freitas merece o destaque ele tem vindo a editar da melhor BD nacional.


Abraço

Bongop disse...

Será que o Pizzaboy não entrou em melhor álbum nacional porque parte da equipa criativa é argentina?
Desconfio disso...

Abraço

Pedro disse...

Não, o problema deve ser que a Tinta-da-China, como o Manuel Caldas, não devem enviar os seus livros para concorrerem...
Abraço,
Pedro Cleto

Loot disse...

Pedro não é isso porque o álbum está nomeado para melhor argumento logo exemplares foram enviados.

Bongop pensei no mesmo mas nos prémios diz melhor álbum português e melhor desenho em álbum português. Mas não li as regras confesso.

João Amaral disse...

Pois também eu sou mais um daqueles que não compreende porque é que o Pizzaboy não foi nomeado para melhor livro. No resto, mais um excelente post de divulgação.

DC disse...

Loot, o regulamento dos prémios permite que o júri sugira livros que não foram enviados exemplares para concurso. Só podemos especular (ou falar com algum membro do júri) a razão de não estar nomeado para melhor álbum.

Loot disse...

DC, espera lá então se o Dog mendonça está nomeado para melhor argumento não significa que o livro entrou a concurso, seja de que forma foi?

E se entrou deve estar disponível para ser nomeado ao que o juri quiser e não quis nomear a mais nada.

Era só isso que queria dizer

Loot disse...

A não ser que o juri seja diferente para cada categoria.

Tu deves saber isso podes esclarecer :P
Mas acho que a justificação é a mais simples, o juri não votou nele para as outras categorias.

Bongop disse...

Bom... se calhar não entrou simplesmente porque o júri não o escolheu!
:D

Abraço

verbal disse...

Boas, eu já tenho aqui defendido que estes prémios ditos nacionais pecam pela falta de objectividade e de representatividade.

Começo por não perceber porque que um júri precisa de ler os álbuns para os nomear e depois essa exigência já não é feita a todos os profissionais de BD (especialistas, investigadores, críticos e jornalistas especializados, assim como autores e editores) acreditados na base de dados do Amadora BD/CNBDI, que são quem determina os vencedores finais. O mais correcto seria o júri nomear e seleccionar o vencedor. Afinal quem é que está mais habilitado a responder por tamanha responsabilidade?

Depois temos a questão do envio dos 6 exemplares para supostamente o júri conhecer os álbuns a concurso. Esta taxa de inscrição considero-a extremamente castradora, porque está no direito de pequenas editoras como BDMania, VitaminaBD ou a Libri Impressi de Manuel Caldas recusarem o pagamento de tal imposto. Consequência é nunca serem nomeadas e anos há que não é por falta de edição de bom material.

Depois ainda há estes critérios subjectivos de nomeação. Este ano não considerar o PizzaBoy nos nomeados para melhor álbum, apesar do reconhecimento muito positivo que o álbum teve, não abona nada em credibilidade o júri e os prémios. Já para não falar na nomeação do livro de ilustração numa categoria que elege o melhor desenhador português editado num livro de BD em Portugal.

Enfim, falta seriedade nestas coisas!

Anónimo disse...

Podem perguntar à Tinta da China ou aos autores para que categoria concorreram. Quando se candidatam, indicam sempre para que categorias. Poderá ser isso que justifique apenas esta nomeação?

verbal disse...

Segundo informações que recebi, todos os álbuns a concurso são avaliados para cada uma das categorias tendo em conta os diferentes critérios adoptados e considerados válidos na avaliação das propostas. No caso do Pizzaboy a sua exclusão dos nomeados na categoria de Melhor Álbum foi mesmo uma opção do júri.

refemdabd disse...

Lembro-me duma cantilena nos livros brasileiros: "É marmelada, é marmelada...". É o que eu acho destes "prémios": uma grande marmelada! Mais um ano, e sempre as mesmas (e talvez merecidas) criticas.

Quanto à grande vencedora, a ASA, eu sou da opinião (cá está, nada humilde!) que é muito merecida. Eu que me deleito "a dar-lhe pancada", sou o primeiro a reconhecer que se não fosse pela ASA praticamente já não haveria BD estrangeira em Portugal, o que seria lamentável.

A Kingpin está de parabéns.

Nunca percebi "júris", talvez por nunca ter feito parte de um. Desde os tempos dos concursos de Misses, em que a miúda que eu gostava nunca ganhava, eu decidi que esse pessoal que é júri tem é falta de gosto :)

L Parreira disse...

Eu acho que falta um prémio para o melhor blog sobre banda-desenhada!
Acho que já é tempo de alguém reconhecer o excelente trabalho feito neste blog, que leva mesmo quem não se interessava pela BD a olhar de outra forma para a 9ª arte.

verbal disse...

Parreira que sábias palavras...lol
Agora a sério fico satisfeito de conseguir chamar a atenção de alguém que nunca se interessou por BD!
Abraço

Anónimo disse...

Eu acho que é muito vantajoso para o júri e para a Amadora que os pequenos editores não se candidatem nem sejam nomeados. É que se eles começassem a ganhar os prémios que vão cabendo à Asa, esta poderia deixar de se interessar de mandar as suas edições a concurso, e, como estas edições são muitas mais do que as das pequenas editoras, se a Asa deixa de as enviar as colecções da Amadora e dos elementos do júri pouco crescerão. E a vida está dura e sempre é bom receber uns albunzitos à borla, quantos mais melhores, mesmo que não prestem. E a sério a sério, nada do que a Amadora faz é a sério. É tudo uma palhaçada.

verbal disse...

Caro anónimo, fica registada a sua opinião. Eu defendo que o Amadora BD devia assumir-se como o mais importante pólo de divulgação de BD em Portugal, e que os seus prémios deveriam ser o reflexo dessa ambição. Infelizmente, na minha opinião, são outras visões que prevalecem e quem sabe senão outros interesses. Não obstante, devo dizer que não comungo da sua critica de "palhaçada" ao trabalho que se desenvolve no festival. Lembro por exemplo que o concurso de BD promovido pelo Amadora BD ao longo da sua existência já permitiu descobrir excelentes autores portugueses, alguns dos quais seguiram carreira no mundo a BD e quem sabe se tudo não começou na Amadora? Lembro por exemplo que é devido ao festival, que os melhores autores de BD internacionais tem visitado Portugal. Acrescento ainda, que o Amadora BD já soma 21ª edições o que não encontra paralelo em qualquer outro festival do género que se realize em Portugal. Agora o Amadora BD tem defeitos? Como qualquer outra organização, têm!
Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...