10 dezembro, 2019

Com 2019 quase a fechar....

A pouca actividade deste blogue neste últimos dias também reflecte o mês de Dezembro em termos de novos lançamentos. É um mês fraquinho em novas edições. A maior parte das editoras nacionais de banda desenhada fechou já o seu ano editorial. A excepção vai para a sempre muito activa G.FLOY que ainda guardou algum fôlego para mais cinco novidades, cujas capas reproduzo abaixo, e para a ASA com a sua colecção Blueberry. Do levantamento que tenho vindo a fazer, e que conto publicar nos primeiros dias de Janeiro, posso adiantar que 2019, e falando em termos de novidades, está a revelar-se como mais um excelente ano editorial, superando números que tínhamos registado nos últimos três anos, se nestes cálculos descontarmos o efeito “Goody”. No entanto, penso que o mercado bedéfilo nacional estará quase a encontrar o seu ponto de equilíbrio, que se situará por volta das 250 novidades por ano, mais lançamento, menos lançamento. Uma nota só para dar conta da grande aposta de várias editoras na edição de bd franco-belga, o que abre boas perspetivas para que vinte-vinte seja um bom “ano francófono”, o que é óptimo, ou não fosse esta uma das leituras mais apreciadas por estes lados. Até já!

Últimos lançamentos de 2019 da G.FLOY




7 comentários:

Anónimo disse...

Dois Irmãos é... fabuloso

O Estranho disse...

"(...) se nestes cálculos descontarmos o efeito “Goody”."
Porquê? Não editaram?

Nuno Neves disse...

Estranho... então?? A Goody fechou portas em finais do ano passado!

O Estranho disse...

Nuno: certo.
Mas não há aí nenhum "efeito" que afecte os dados estatísticos (que valem o que valem, como todos!).
A Goody faliu, como pode poderia e pode (esperemos que não!) ter falido qualquer outra editora. No passado, no presente e no futuro.
Só isso.

Nuno Neves disse...

Estranho, claro que sim. Mas a minha ideia é arranjar um comparável para aferir da evolução da edição de BD durante o corrente ano. Se em 2018 registei um total de 308 edições, e em 2019 registo apenas 230, poderia dar a ideia que o mercado português sofreu uma grande queda, e que estávamos em “crise”, quando afinal a diferença justifica-se pelo “peso” da Goody, que editou (em média) um total de 80 livros por ano. Só em 2018 somou 96 lançamentos. Descontando este “efeito” podemos concluir que 2019 foi mais um excelente ano, continuando a edição de BD em Portugal em “alta”. Abraço

O Estranho disse...

Correcto, na primeira a assunção: sofreu uma grande quebra.
Errado, na segunda: não está em crise.
Estás a misturar "estatística" com "inferência" estatística.
A REALIDADE é que houve uma ENORME diminuição no número de edições, devido à falência da Goody. De qualidade ou não, relevantes ou não, o CERTO é que se regista essa ENORME diminuição.
Parece-me mais correcto ter isso em conta, estatisticamente, do que nos preocuparmos com conclusões.
A meu ver, os números REAIS, com Goody incluída e uma RESSALVA à situação. Que, ademais, quem se interessa por ler estas "estatísticas" conhece SOBEJAMENTE a situação.

Abraço.

Optimus Primal disse...

Nemesis é muito dispensável.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...