22 setembro, 2008

Blake e Mortimer.... OUTRA VEZ!

Com o final da colecção “Blueberry” a aproximar-se, o jornal Público em parceria com a ASA, fez anunciar que irá lançar uma nova colecção de BD, com início em Outubro, desta vez dedicada à série “Blake e Mortimer”. Uma colecção toda encadernada, capa dura, lombada de tecido, etc., etc. tudo muito bonito não fosse o pormenor desta série já ter sido anteriormente editada (pela Editorial Íbis/Editorial Verbo), reeditada (pela Bertrand), re-reeditada (pela Meribérica) e ainda re-re-reeditada (pelo Jornal Record). Aliás acho mesmo que não existe outra série em Portugal que tenha sido objecto de tantas reedições. E depois disto tudo será que existe por aí algum bedéfilo que ainda não tenha esta colecção? E com a crise e tanta gente que se queixa de pagar mais três ou quatro euros por um qualquer álbum de capa dura, será que é uma lombada bonita que justifica pagar cerca de € 7,90 por um álbum que facilmente se encontra em qualquer feira do livro que se preze a metade do preço? É impressão minha ou parece que em termos de produção de BD andamos a andar para trás? Com tanto material inédito para publicar, não seria altura da ASA olhar para a frente e dirigir a sua atenção no sentido de reparar a “herança” da Meribérica e completar colecções? Com tantos títulos em carteira é preciso andar a publicar "mais do mesmo"? Haja paciência e euros para deitar fora!

7 comentários:

DC disse...

Pensei que o recorde de reedições fosse o Ásterix hehe
Existem um packs de Blake e Mortimer onde o preço por livro fica ainda mais baixo.
Mas já estou a imaginar a decisão. O novo livro vendeu imenso e toca a aproveitar a recente "febre".

refemdabd disse...

Pois é! Não percebo! Talvez tenha a ver com os objectivos definidos entre as duas Editoras para títulos publicados e vendidos. Não sei. Eu realmente tenho todos os álbuns destes heróis (de todas as edições de todas as editoras); Os primeiros da Verbo (4 números) estão em bom estado, mas a idade não os perdoa (o papel é propicio a envelhecer); os da Bertrand também os tenho todos (os que foram editados); os da Meribérica tenho as primeiras edições (em brochado e em cartonado!). Será que agora também irei adquirir estes?! Acredito que não; a não ser que tragam algo de especial, o que não acredito.
Com tanta série ou títulos que existem no F/B, nós só somos "presenteados" com estas decisões. Já não sei o que mais dizer. Nada...é melhor.

Labas disse...

Subescrevo a opinião do Verbal.
Perto do meu trabalho (Largo do Rato em Lisboa) há um quiosque que tem imenso pessoas a comprar publicações.
Porém as edições de BD ainda inundam a pequena barraca, à excepção das séries do Michel Vaillant.
Tirando essas, até ainda há a série do Tintin do Público.
Ao preço anunciado, acho que vai haver muitas sobras.

Porfirio Silva disse...

Já conhecem o álbum MARZI (La Pologne vue par les yeux d’une enfant), de Sylvain Savoia e Marzena Sowa?

Anónimo disse...

não serão sobras que estão a tentar despachar?

Lights disse...

Confesso que não vou resistir e vou aproveitar para renovar a minha colecção de B&M por esta nova edição.
Infelizmente preferia estar aqui a comentar o inicio de outras edições (e aquisições!) como Tanguy & Laverdure, Buck Danny, Dan Cooper, Ian Kaledine, ou outras...

Anónimo disse...

É a cara Maria José Pereira, que depois de ter destruido uma editora (Meribérica) se prepara para destruir a Asa (a acção de delapidação dos erários das editoras já está em curso e começa a notar-se com as sobras nos armazéns e hipermercados, vendidos ao preço da uva mijona). Não é espantar para quem no festival de Angoulême sempre ficava sentada no bar até à altura em que anunciavam os prémios (isto é, não tendo qualquer interesse no que se passa no campo da BD actual). Uma espécie de Celeste Cardona da BD

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...