31 outubro, 2009

20º Amadora BD – Vencedores dos PNBD

Numa cerimónia que decorreu nos Recreios da Amadora, foram hoje anunciados os vencedores dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada. Destaco talvez aquela que foi para mim uma grande surpresa, não obstante a grande admiração que tenho pelo trabalho de JC Fernandes, mas desculpem-me a franqueza que me custa a “engolir” o álbum “A Metrópole Feérica – Terra Incógnita” como um álbum de BD, muito menos como o “Melhor Álbum Português”. Já aqui tinha escrito. Apostava claramente na “Fórmula da Felicidade”, mas a votação oficial assim não o considerou. O mesmo se aplica para as categorias de “Melhor Argumento” e “Melhor Desenho”. Na categoria de “Melhor Álbum Estrangeiro”, confirmou-se a vitória de "A Teoria do Grão de Areia", de Schuiten e Peeters. De resto pouco há a assinalar de relevante. Ficam então aqui a listagem dos vencedores:

MELHOR ÁLBUM PORTUGUÊS
A Metrópole Feérica – Terra Incógnita vol 1, de José Carlos Fernandes e Luís Henriques, Tinta da China

MELHOR ARGUMENTO PARA ÁLBUM PORTUGUÊS
José Carlos Fernandes, A Metrópole Feérica – Terra Incógnita vol 1, Tinta da China

MELHOR DESENHO PARA ÁLBUM PORTUGUÊS
Luís Henriques, A Metrópole Feérica – Terra Incógnita vol 1, Tinta da China

MELHOR ÁLBUM DE AUTOR ESTRANGEIRO
Teoria do Grão de Areia, Schuiten e Peeters, Edições ASA

MELHOR ÁLBUM DE TIRAS HUMORÍSTICAS
Cão Fedorento, Mike Peters, Gradiva Publicações

MELHOR ILUSTRAÇÃO PARA LIVRO INFANTIL
Canta o Galo Gordo, Cristina Sampaio, Editorial Caminho

CLÁSSICOS DA 9ª ARTE
A Marca Amarela, Edgar P. Jacobs, Edições ASA/Jornal Público

FANZINE
Venham + 5, Paulo Monteiro, Bedeteca de Beja

4 comentários:

refemdabd disse...

Embora reconheça os talentos do JCF e do LH (era o que mais faltava, não os reconhecer), pessoalmente não tinha eleito este como o melhor álbum de BD nacional; tão pouco nas outras duas categorias. É uma questão de gosto pessoal, no meu caso.

Já o prémio estrangeiro, na minha pouco humilde opinião, ficou bem entregue.

Para pior álbum de tiras teria eleito o Cão Fedorento.

Comprei o Canta o Galo e posso dizer que o meu filho de dois anos e três meses não gostou, mesmo nada...mas o que é que ele sabe?! Afinal o livro é para adultos! Do CD então, nem vos digo, nem vos conto...que coisa mais sem-sal, que melodias mais desenchaibidas, e as letras...parecia que tinha chegado novamente ao período pós 25 de Abril, mas sem "mensagem". I want my money back...NOW, please!

O prémio clássicos da 9ª Arte foi muito bem atribuído.

verbal disse...

Refém, na categoria do melhor nacional, em álbum, argumento e desenho, eu preferia "A Fórmula da Felicidade". Quanto ao estrangeiro, com a falta de concorrência à altura, "A Teoria" era nitidamente um vencedor antecipado. Quanto aos clássicos considero que se pratica uma manifesta injustiça com as edições do Manuel Caldas e não é só deste ano!

Juntando isto tudo à tua avaliação do "Galo Gordo" que eu confesso que não conheço, só vem fortalecer a minha opinião pessoal que este modelo dos PNBD deixam muito a desejar!

refemdabd disse...

Sim amigo Verbal, sem dúvidas a Fórmula.

Para álbum estrangeiro não havia grande concorrência, por isso atribuiram o prémio a meio álbum (será que a editora framcesa lhes enviaram os seis álbuns da segunda parte?).

Os das tiras, devem ter lido o original, pois em Português perde-se muito na tradução. Mesmo assim não percebo onde está o hilariante humor...enfim, gostos talvez.

Concordo com o que escreves do Manuel Caldas.

Este modelo é uma mama para os mamões do costume.

Colectivo Vilanagem disse...

Ufa...ainda bem que foi uma REVISTA a ganhar o prémio de melhor fanzine!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...