19 setembro, 2019

Colecção BD Novela Gráfica - Vol. 12: Neve nos Bolsos

Hoje nas bancas o 12º e penúltimo volume da 5º série da Colecção Novela Gráfica editada pela Levoir. «Neve nos Bolsos» traz-nos de volta o autor espanhol KIM (depois de desenhar de «A Arte de Voar« e «A Asa Quebrada») agora num registo autobiográfico, onde nos conta os seus anos como imigrante na Alemanha.

NEVE NOS BOLSOS
Outubro de 1963, numa estrada no sul de França, o jovem Joaquim Aubert, ainda não conhecido como Kim, pede boleia. Joaquim chega a terras germânicas como tantos outros espanhóis que atravessaram a Europa à procura de trabalho. Ele não emigrou por necessidade, não tinha uma situação pessoal desesperada como muitos dos seus companheiros no albergue de Remscheid, ele tinha um lugar para voltar, ao contrário de alguns dos seus compatriotas, que se viram obrigados a fugir de um país esmagado pela ditadura franquista. Através das suas memórias de juventude, cheias de momentos ternos, divertidos, e também duros e tristes, ele traça-nos um retrato autobiográfico da sua vida na Alemanha e das vivências de outros espanhóis que emigraram com o mesmo objectivo, ganhar a vida. De uma maneira despojada de sentimentalismos, e sem qualquer intenção de julgamento, Kim faz desfilar perante os olhos do leitor todo o tipo de personagens o que permite ter uma visão do que era a realidade da Espanha da época.

Ficha técnica:
Neve nos Bolsos
Colecção Novela Gráfica (5ª série) - Volume 12
De Kim
Capa dura, formato 170x240 mm, p/b, 192 pags.
PVP: € 10,90
Editora LEVOIR





18 setembro, 2019

Os vencedores dos Galardões BD da CCPT'2019

Vencedores dos Galardões BD 2019 (da esquerda para a direita): José Freitas (editor), Ed Brubaker (autor), Roberto Gomes (autor) e Rui Lacas (autor)

O prémio do Melhor Álbum Nacional tem um prémio de € 2000 aqui entregue por Paulo Cardoso (organizador da CCPT)

No terceiro dia da Comic Con foram conhecidos os vencedores dos Galardões BD de 2019. Estes Galardões são uma iniciativa que se destina a premiar e valorizar a produção de autores e editoras portugueses no campo da Banda Desenhada. As nomeações e votações são feitas por conjunto de jurados convidados (nomes mais abaixo) que escolhem obras e autores para cada uma das 4 categorias a concurso.

O resultado deste ano revelou como grande vencedora a editora G.FLOY, cujas obras e autores arrecadaram todos os prémios nas categorias onde se encontrava nomeada. Traduz somente o reconhecimento pelo excelente trabalho que esta editora tem vindo a desenvolver ano após ano, não só em obras estrangeiras mas igualmente com autores nacionais (aqui em parceria com a editora COMIC HEART).

A título de curiosisdade, a cerimónia de entrega dos prémios deste ano ficou marcada pela presença do americano Ed Brubaker, que inclusive subiu ao palco para receber o prémio na qualidade de argumentista de Fade Out, obra vencedora do Melhor Álbum de Autor Estrangeiro


OS VENCEDORES:

Galardão Anual Comic Con BD Melhor Álbum
Mar de Aral, de José Carlos Fernandes e Roberto Gomes (Comic Heart/G.Floy)

Galardão Melhor Argumento
José Carlos Fernandes, em Mar de Aral (Comic Heart/G.Floy)

Galardão Melhor Desenho
Roberto Gomes, em Mar de Aral (Comic Heart/G.Floy)

Galardão Melhor Curta de BD
Sacred Monster, de Rui Lacas, da antologia Humanus (Escorpião Azul)

Galardão Melhor Álbum de Autor Estrangeiro
Fade Out, de Ed Brubaker e Sean Phillips (G.Floy)


OS JURADOS:

Cristina Alves (divulgadora)
Dário Duarte (autor)
Diogo Campos (divulgador)
Gabriel Martins (divulgador)
João Marques (coleccionador)
João Vasconcelos (divulgador)
José Pedro Castelo Branco (divulgador e coleccionador)
Luís Salvado (jornalista)
Manuel Ruas Moreira (coleccionador)
Nuno Neves (divulgador)
Nuno Pereira de Sousa (divulgador)
Osvaldo Medina (autor)
Pedro Bouça (estudioso)
Pedro Alves Martins (livreiro)
Pedro Cruz (autor)
Rui Cartaxo (coleccionador)
Sérgio Plácido (divulgador)

17 setembro, 2019

Lançamento ASA: Sentinel


Foi um dos lançamentos da Comic Con, este regresso ao universo «Watchers» idealizado e realizado por Luís Louro. Este novo SENTINEL é assim a uma espécie de sequência após os desfechos distintos de Watchers. Sentinel apresenta-se também em duas versões (A e B), desta feita com dois inícios e apenas um final.

Mais uma vez Louro mostra-nos que continua em grande forma, trazendo-nos uma Lisboa revestida de um visual surrealista, com árvores que envolvem os prédios, transportes voadores e animais selvagens citadinos. A temática continua incidir nas redes sociais e a fome por "números de visualizações". A leitura torna-se ainda mais deliciosa se descobrirmos as inúmeras referências da cultura popular/pop/geek com que o autor salpicou esta história. Torna-se desafiante!

SENTINEL
Após o desaparecimento do Sentinel, na última história, assiste-se aqui ao surgimento de uma legião de seguidores, os Discípulos, cujo objetivo é preservar o legado do seu herói e manter bem viva a luta pelo maior número de visualizações. Mas, como em tudo na vida, há sempre duas faces para a mesma moeda… Neste caso, uma das faces são os Discípulos; a outra, algo bem pior! Sim, porque desta vez a questão é pessoal!!!!

Ficha técnica:
SENTINEL
De Luís Louro
Capa dura, formato f/b, dimensões 16,9x23,6 cm, cores, 48 pags.
(versão A) ISBN 978-989-23-4645-8 | (versão B) ISBN: 978-989-23-4647-2
PVP: € 14,95
Edição ASA

16 setembro, 2019

Colecção BD Novela Gráfica - Vol. 11: O Número 73304-23-4153-6-96-8

Após um pequeno interregno motivado pela Comic Con, regresso para deixar aqui a nota de lançamento de mais um volume, o 11º da Colecção Novela Gráfica, disponível nas bancas desde da semana passada.

Da autoria do suíço Thomas Ott, a obra O Número 73304-23-4153-6-96-8 caracteriza-se pela singularidade de ser um thriller contado apenas com recurso a imagens, não existindo um uma única linha de diálogo.

A técnica de Ott é o «grattage», em que usa um papel especial para ir raspando o desenho com uma lâmina, o que torna a sua obra a preto e branco muito diferente do normal, sendo o preto a dominar as páginas e o desenho, um efeito aumentado.

O NÚMERO 73304-23-4153-6-96-8
Ao limpar a cela de um prisioneiro que foi condenado à morte e posteriormente executado, um guarda da prisão encontra um pequeno pedaço de papel onde está escrita uma combinação numérica. O guarda, um solitário, que leva uma vida monótona, guarda os números para posteriormente, ir investigar o significado dos mesmos. Descobrir o significado oculto naqueles números poderia acrescentar um novo significado à sua vida. Os números que inicialmente lhe vão permitir ter uma sorte inesperada, acabam por se revelar uma maldição que o levam à loucura e à morte.

Ficha técnica:
O Número 73304-23-4153-6-96-8
Colecção Novela Gráfica (5ª série) - Volume 11
De Felipe Hernandéz Cava e Bartolomé Seguí
Capa dura, formato 170x240 mm, p/b, 136 pags.
PVP: € 10,90
Editora LEVOIR



14 setembro, 2019

Caçador de Desenhos Autografados

Ontem no meu 1º dia da Comic Con Portugal, o calor imperava sobre o Passeio Marítimo de Algés. Andar de um lado para o outro sob um sol impiedoso era demasiado, e a nova arrumação do espaço revelou que o recinto é imensamente grande, penso que até demais para a oferta que disponibiliza. As tendas por isso apresentam-se como uma óptima solução para a "malta dos comics" se refrescar. E o resultado foi este, por ordem de apresentação: Ed Brubaker, Fábio Civitelli, Ivan Reis, Joe Prado, Luís Louro, Greg Tocchini e Roberto Gomes.









12 setembro, 2019

Os nomeados dos Galardões BD 2019


Nota para os Nomeados aos prémios Galardões BD 2019 da Comic Con Portugal. As escolhas já estão feitas e os vencedores serão conhecidos em cerimónia a realizar no próximo Sábado, dia 14, a partir das 15h no Prime Theatre. Pessoalmente acho que está representado o "melhor nacional" para «Melhor Álbum», sendo destacar a obra «Watchers» (ASA), de Luís louro que fez o pleno nas três categorias elegíveis. Em termos de editoras, a parceria Comic Heart/G.Floy arrecada 7 nomeações. A antologia «Humanus», da Escorpião Azul domina nas "curtas". Em termos de "estrangeiros" categoria onde a escolha é sem dúvida a mais dificil em termos de nomeação, não tenho dúvidas sobre qual é a melhor obra a concurso. Sábado se verá. Sem mais demoras, são estes os eleitos:

Galardão Anual Comic Con BD Melhor Álbum
- Filhos do Rato, de Luís Zhang e Fábio Veras (Comic Heart/G.Floy)
- Mar de Aral, de José Carlos Fernandes e Roberto Gomes (Comic Heart/G.Floy)
- O Outro Lado de Z, de Nuno Duarte e Mosi (Kingpin Books/Comic Heart/G.Floy)
- Watchers, de Luís Louro (Asa/Leya)

Galardão Melhor Argumento
- Arlindo Fagundes, em O Colega de Sevilha - Uma Aventura de Pitanga (Arcádia)
- José Carlos Fernandes, em Mar de Aral (Comic Heart/G.Floy)
- Luís Louro, em Watchers (Asa/Leya)
- Nuno Duarte, em O Outro Lado de Z (Kingpin Books/Comic Heart/G.Floy)

Galardão Melhor Desenho
- Fábio Veras, em Filhos do Rato (Comic Heart/G.Floy)
- Joana Afonso, em Zahna (Polvo)
- Luís Louro, em Watchers (Asa/Leya)
- Roberto Gomes, em Mar de Aral (Comic Heart/G.Floy)

Galardão Melhor Curta de BD
- No Meu Lugar, de André Oliveira e Filipe Andrade, da antologia Almanaque (Bicho Carpinteiro)
- Sacred Monster, de Rui Lacas, da antologia Humanus (Escorpião Azul)
- O Segredo, de Rita Alfaiate, da antologia Humanus (Escorpião Azul)
- A Verdade da Mentira, de Álvaro, da antologia Humanus (Escorpião Azul)

Galardão Melhor Álbum de Autor Estrangeiro
- Angola Janga, de Marcelo D'Salete (Polvo)
- Fade Out, de Ed Brubaker e Sean Phillips (G.Floy)
- A Morte Viva, de Olivier Vatine e Alberto Varanda (Ala dos Livros)
- Uma Irmã, de Bastien Vivès (Levoir)

Hoje abrem as portas da 6ª edição da Comic Con Portugal

A convite da organização da Comic Con Portugal, à qual agradeço desde já, tive ontem a oportunidade de visitar o recinto da exposição. A ideia não é agora aqui revelar qualquer grande surpresa, até porque estava tudo ainda em fase de montagem e alguns sítios não estavam autorizados, mas sim deixar as (minhas) primeiras impressões. Confesso que fico espantado como é que daqui a algumas horas o espaço vai abrir portas com tudo pronto para receber os visitantes.

A primeira (boa) impressão vai (mais uma vez) para o espaço. Para quem frequentou o lotado e claustrofóbico recinto da Exponor nas primeiras edições, percebe que agora ao ar livre e num lugar com a dimensão do Passeio Marítimo de Algés, a Comic Con proporciona um nível de experiência que nunca foi alcançado a Norte. Esta é a primeira nota positiva.

A segunda vai para a “arrumação” do espaço. Todos os quatro auditórios mais as zonas de autógrafos encontram-se agora alinhados do lado direito de quem passa pelo pórtico de entrada. Do lado esquerdo fica a zona comercial ou “geek zone”. No centro todo um espaço ocupado pelas marcas e patrocinadores com ofertas de “experiências” para os visitantes. Gostei bastante desta nova disposição.


Entre as várias experiências à disposição, há duas gastronómicas quase obrigatórias. Os gelados «Stranger Things» e os empaladinhos «Walking Dead». E sim nas fotos em baixo é a minha cabeça reproduzida em chocolate (branco a meu pedido). Recomendo.


Sobre BD já se sabe s convidados. Não há como esconder: apresenta um cartaz mais pobre que o da edição do ano passado. Faltam por exemplo nomes da BD franco-belga, há alguns ilustres desconhecidos e lamenta-se a ausência forçada de Mike Deodato. A coisa é compensada com a presença de Ed Brubaker (e um novo lançamento deste autor), de Fabio Civitelli, e da "armada portuguesa" capitaneada pelo Luis Louro, que tem um novo álbum com apresentação no festival. Sexta marco presença no evento para avaliar melhor tudo isto. Bom festival!

11 setembro, 2019

Lançamento G.FLOY: Ms. Marvel - Vol. 3: Apanhada

Já nas livrarias nacionais encontramos o terceiro volume da série MS. MARVEL, editado pela G.FLOY, que nos traz as histórias de uma jovem, idealista e divertida super-heroína de origem paquistanesa de Nova Jérsia.

Ms. Marvel: Apanhada é o penúltimo volume de uma colecção de 4. Escrito por G. Willow Wilson, uma premiada escritora americana convertida ao Islão, que neste volume é acompanhada por Takeshi Miyazawa, um artista de origem canadiana e japonesa, que incorpora um estilo mangá muito pronunciado nos seus livro.

MS. MARVEL vol. 3: APANHADA
Kamala Khan enfrenta uma nova e aterrorizadora ameaça, os seus sentimentos!
O amor chegou a Nova Jérsia, é Dia dos Namorados, e ninguém fica imune. E se Kamala Khan está proibida de ir à festa da sua escola, ninguém vai conseguir impedir a fantástica Ms. Marvel de aparecer de surpresa! Especialmente se está em causa conseguir derrotar o mais trapaceiro dos seus inimigos. Mas preparem-se também para drama! Intriga! Suspense! Romance! Pancadaria da grande! O misterioso forasteiro que surge na vida de Kamala é lindo, e ela parece estar... apanhada! Continua a série aclamada em que Kamala Khan nos prova mais uma vez que é a melhor (e mais adorável) da nova geração de super-heróis Marvel.

Reúne os comics Ms. Marvel #12-15 e S.H.I.E.L.D. #2.

Ficha técnica:
MS. MARVEL vol. 3: APANHADA
Argumento de G. WILLOW WILSON e arte de TAKESHI MIYAZAWA e ELMO BONDOC
Capa dura, formato deluxe, cores, 112 pags.
ISBN: 978-83-65938-52-7
PVP: 13€
Editora G.FLOY








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...